Patrocínio de casas de apostas em camisas pode ser banido da Premier League

Como parte da revisão da Lei de Jogos do Reino Unido, as marcas de casas de apostas podem ser proibidas de aparecer na parte da frente de camisas de futebol, de acordo com um relatório da Sportsmail.

A revisão provavelmente resultará em mudanças nos regulamentos de publicidade de jogos no Reino Unido, embora também tenha sido relatado que o impacto da publicidade na televisão está sendo considerado. Além disso, a proibição é menos provável de ser implementada nas ligas inferiores, dado o impacto financeiro significativo.

Uma fonte disse ao Mail: “Temos quase certeza de que haverá um fim na publicidade na frente da camisa. Todo mundo está esperando isso. Os legisladores querem mais, mas muitos políticos estão preocupados com as ligas inferiores. O governo acha que a frente da camisa vai ganhar as manchetes e vai parecer que tomou uma atitude ousada”.

Presidente do BGC declarou que indústria não pode ser a única responsabilizada

No seminário online ‘Liberando os Termos da Revisão da Lei de Jogos do Reino Unido’, apresentado pela SBC, Brigid Simmonds, Presidente do Conselho de Apostas e Jogos (BGC), enfatizou sua posição de que a indústria de jogos não pode ser responsabilizada exclusivamente por problemas de jogo e os riscos que vêm com as apostas.

Com o Departamento de Educação agora introduzindo o tópico no currículo Pessoal, Social, de Saúde e Econômia (PSHE) para educar os jovens sobre os riscos associados ao jogo, Simmonds sugeriu que outros setores deveriam intensificar e aceitar a sua responsabilidade.

“Uma pessoa com um problema é demais. Precisamos ter uma abordagem para isso. Nos últimos 20 anos, a indústria tem sido a única financiadora de pesquisa, educação e tratamento, e só muito recentemente o NHS chegou e decidiu que vai abrir novos centros”, declarou Simmonds.

“Acho que eles montaram três centros e ainda há £ 200 milhões para eles montarem mais. Visitei aquele em Leeds e o que ficou absolutamente claro é que muitos dos que têm problemas com o jogo têm problemas noutras áreas e é isso que tem de ser incorporado para que possamos ajudar essas pessoas”.

Ela acrescentou: “Como uma indústria, acabamos de anunciar que vamos gastar mais £ 100 milhões até 2024 no financiamento da linha de ajuda nacional, no financiamento de apostas e no financiamento dos 10 milhões que acabamos de colocar na educação por meio YGAM e GamCare e obviamente o Departamento de Educação estão agora envolvidos. No entanto, não pode ser deixado apenas para a indústria, então espero que parte disso seja repensado”.

Nove dos principais clubes ingleses possuem propaganda de casas de apostas

Atualmente, nove das principais equipes inglesas têm casas de apostas como patrocinadoras nas suas camisas, com uma potencial proibição, há receio do impacto significativo nas receitas de clubes. A conclusão da revisão da Lei está agora sendo supervisionada por Chris Philp, depois que foi nomeado o novo Ministro do Jogo, substituindo John Whittingdale.

Durante a carreira, ele fez campanha por uma regulamentação mais rigorosa dos terminais de apostas de odds fixas, antes da implementação do limite de aposta de £ 2 em 2019, sugerindo que ele pode tomar uma posição mais dura do que seus antecessores.

Michael Dugher, Executivo-Chefe do Conselho de Apostas e Jogos (BGC), afirmou: “Em nome das 119.000 pessoas cujos trabalhos são apoiados por membros do BGC, dou as boas-vindas a Chris Philp como o novo ministro responsável pelo jogo. Ele chega com uma excelente reputação de ministro talentoso e extremamente capaz”.