GLMS relata aumento de 41% em alertas de apostas suspeitas em 2020

O Sistema de Monitoramento de Loteria Global (GLMS) relatou um aumento de 41% no número de alertas de apostas esportivas suspeitas gerados em 2020.

O órgão de integridade de apostas da indústria de loteria enviou 1.113 alertas para os seus integrantes, incluindo operadoras em todo o mundo, apesar da pandemia de novo coronavírus ter causado a interrupção de diversos eventos esportivos ao longo do ano passado.

Detalhes sobre as notificações emitidas pelo GLMS no ano passado

Dos alertas gerados, 936 foram emitidos antes do início das partidas, sendo 150 disparados na conclusão dos jogos. O futebol foi a modalidade mais afetada, respondendo por 832 de todas as notificações, ou seja, 75% dos comunicados.

O basquete ficou em segundo lugar com 134, o hóquei no gelo em terceiro com 55 e, o tênis aparece na quarta posição com 50 dos alertas totais.

Em termos de localização, a Europa foi o continente mais problemático, com 727 avisos reportados. A Ásia teve 191, América do Sul 90, América do Norte 64, África 23 e Oceania com apenas sete.

O motivo mais comum para acionar as notificações foi a atribuição de notícias relacionadas à equipe com 402 alertas, com mudança significativa de odds aparecendo em seguida com 192 alertas, e registro errado do valor de abertura com 140 menções suspeitas.

No total, 715 dos alertas foram classificados como “verdes” com baixo risco, 217 foram marcados como “amarelos” e 86 considerados “vermelhos”, o que abrange probabilidades suspeitas ou rumores de manipulação de resultados de uma fonte identificada.

Adaptação das equipes em meio a pandemia

Além disso, o GLMS frisou que a pandemia afetou várias competições, se referindo ao fato de que nos esportes coletivos “as equipes precisaram ajustar frequentemente as suas escalações e estratégias de jogo”.

A explicação seguiu: “contando com jogadores reservas e jovens para preencher vagas de atletas titulares que tiveram resultado positivo ou precisaram ser colocados em quarentena de última hora”.