Cazaquistão bloqueia o LinkedIn por causa de anúncios de cassino online

O Cazaquistão bloqueou o acesso à rede social profissional, LinkedIn. O governo local alega que o site estava exibindo anúncios de cassino online, bem como várias contas falsas. É ilegal anunciar cassinos online no país, portanto, os anúncios da plataforma foram vistos como uma violação. 

O Ministério da Informação e Desenvolvimento Social disse em um comunicado que pediu ao LinkedIn para remover os anúncios e contas falsas, mas a empresa não foi capaz de fazer isso. Isso levou ao bloqueio do site, com autoridades do Cazaquistão afirmando que o país restaurará o acesso quando a rede social cuidar das reclamações. 

O Cazaquistão tem laços políticos e econômicos estreitos com a vizinha Rússia, onde o LinkedIn está bloqueado desde 2016. O governo russo alega que a empresa não conseguiu transferir dados de usuários russos para servidores localizados no país. 

Normalmente, o bloqueio de sites inclui empresas que oferecem cassinos online ou jogos diretamente por meio de uma operação ilegal. No entanto, devido às rígidas leis online no Cazaquistão, a rede social foi comprometida e teve seu acesso removido. 

Em 2019, os dados da rede mostraram que sites de redes sociais como Facebook, Instagram, YouTube e Telegram, bem como vários sites independentes de notícias e petições, foram bloqueados em todo o Cazaquistão. Os sites foram afetados porque eram meios de comunicação que cobriam protestos e manifestações durante a época das eleições locais. 

Sobre o Linkedin

O LinkedIn é uma rede social de negócios criada no final de 2002 e lançada oficialmente em maio de 2003. Em junho de 2016, a Microsoft comprou o Linkedin por US$ 26,2 bilhões, sendo a maior aquisição da empresa.

Atualmente, a plataforma é utilizada por profissionais dos mais diferentes segmentos com o objetivo de mostrar os seus talentos, de modo a se relacionar com outras pessoas, aumentar a rede de contas, trocar experiências e encontrar novas oportunidades.