IJAN Oferece Curso Virtual Sobre Vícios de Comportamento no Jogo
Foto: YogoNet

O IJAN (Instituto de Juegos de Azar de Neuquén) iniciou o Ciclo de Treinamento em Jogos de Azar e outros Vícios Comportamentais de 2020, destinado aos profissionais que trabalham nas áreas de saúde e outras partes interessadas.

O programa é organizado pelo departamento de Responsabilidade Social do IJAN, por meio do departamento de Jogo Responsável, e é ministrado pelos médicos Alfredo Cía e Julio Brizuela, psiquiatras especializados no assunto.

Os treinamentos realizados desde 2014 foram projetados para a modalidade de aulas virtuais por videoconferência, substituindo as reuniões presenciais planejadas antes de pandemia do novo coronavírus (COVID-19) e das medidas de isolamento social e restrições de movimento determinadas pela Organização Mundial de Saúde (OMS).

Sendo assim, a ação atinge vários setores, com base na convicção de que vícios e consumo problemático devem ser abordados por equipes interdisciplinares adequadamente treinadas. E, até o momento, a capacitação promovida pelo IJAN já registra 120 inscritos.

Devido ao contexto atual, o programa também está incluindo novas modalidades de assistência remota aos pacientes e supervisão de casos para profissionais.

Modelo da qualificação promovida à distancia promovida pelo IJAN

O treinamento começou pelo nível 1 em vícios comportamentais nesta última quinta-feira. A programação segue com a segunda etapa prevista para essa sexta-feira, 29 de maio.

O cronograma proposto consiste em um planejamento anual das aulas virtuais que serão realizadas através da plataforma de videoconferência Zoom, a cada 15 dias. Cada aula tem duração de 1h30min em média.

Assim, todos os alunos foram registrados na plataforma. Enquanto instruções e materiais necessários para o uso correto dos recursos de aprendizagem e reuniões virtuais foram distribuídos.

O objetivo do IJAN é que essa iniciativa ajude atender às necessidades expostas pelos vícios comportamentais e as patologias ligadas ao jogo descontrolado. Mas, levando em consideração as diferentes perspectivas de abordagem médica e a nova realidade mundial após a pandemia.