Prêmios de loterias prescritas, em 2018, somaram R$ 332,2 milhões

Os ganhadores têm até 90 dias corridos após a realização do sorteio para buscar o prêmio.

Publicado em
 

Número de ganhadores de loterias que deixaram de resgatar seus prêmios em 2018 aumenta, comparado com 2017.

Segundo apuração da Caixa Econômica Federal (a pedido do Poder 360), em 2017, R$ 326 milhões foram deixados para trás por seus ganhadores. No ano passado, o valor aumentou: R$ 332,2 milhões não tiveram como destino o bolso de seus ganhadores.

Se somarmos os últimos cinco anos, chegamos ao valor de R$ 1,6 bilhão, não retirados pelos ganhadores de Mega-Sena, Lotofácil, Quina, Lotomania, Timemania, Dupla Sena, Loteca e Lotogol.

Segundo as regras das loterias, os ganhadores têm até 90 dias corridos após a realização do sorteio para buscar o prêmio.

Os valores não resgatados dentro deste período são repassados ao Fies (Fundo de Financiamento Estudantil), programa do governo federal de financiamento de cursos de graduação no ensino superior.

O repasse ao Tesouro Nacional é realizado mensalmente, sempre no mês seguinte ao do vencimento do prêmio.

COMO RESGATAR O PRÊMIO:

Para retirar o valor, o ganhador deve comparecer à qualquer agência da Caixa com o bilhete premiado, documento de identificação e CPF.

O banco ressalta que, em casos de bilhete ao portador –aqueles que não possuem a identificação do apostador– é importante que o ganhador escreva o nome completo, RG e CPF no verso da aposta antes de sair de casa. Assim, garante que ninguém retire o prêmio em casos de perda.

O local de resgate varia de acordo com o valor que será retirado. Prêmios de até R$ 1.903 podem ser sacados em casas lotéricas credenciadas ou em agências da Caixa. Acima desse valor, o ganhador só recebe na agência bancária.

Para quem ganhar R$ 10.000 ou mais, o pagamento só é feito após 2 dias do comparecimento em uma agência da Caixa.

R$ 6,6 BILHÕES EM REPASSES SOCIAIS

Além dos prêmios prescritos, a Caixa Econômica repassou R$ 6,6 bilhões do total arrecadado com os jogos para o Tesouro Nacional.

Os valores foram aplicados nas áreas de educação, saúde, segurança, cultura, Seguridade Social e esporte em 2018. O repasse é determinado por lei.

Em dezembro de 2018, o ex-presidente Michel Temer sancionou uma lei que destina recursos das loterias para segurança pública. O texto determina que 9,4% da arrecadação bruta das loterias federais sejam destinados ao FNSP (Fundo Nacional de Segurança Pública) e ao FPN (Fundo Penitenciário Nacional).

De acordo com os cálculos do governo, o Ministério Justiça e Segurança Pública receberá cerca de R$ 2 bilhões em 2019.

DEIXE UMA RESPOSTA

Adicione seu comentário
Digite seu nome aqui