Bruno Omori se diz otimista quanto à Legalização de Jogos e Cassinos

Especialista e Gestor de Turismo e Hotelaria, Palestrante Internacional, e Planejamento Estratégico e Mercadológico, atualmente, Bruno Omori é Presidente do IDT-CEMA (Instituto de Desenvolvimento, Turismo, Cultura, Esporte e Meio Ambiente). No âmbito acadêmico, possui MBA em Turismo, Hotelaria e Entretenimento pela FGV, além de MBA Internacional pela Ohio University, e graduação em Administração de Empresas pela Universidade Mackenzie de São Paulo, Brasil.

Omori é uma referência de prestígio no Brasil em todos os assuntos relativos ao setor de turismo e entretenimento.

Em relação aos múltiplos cargos que vem ocupando nos últimos anos, podemos citar: Diretor Conselheiro da ABIH-SP; Presidente Nacional do Podemos Turismo & líder do RenovaBR; Vice-Presidente do Conselho Curador do SP Convention Visitours Bureau; Vice-Presidente da Federação Latino Americana de Cidades Turísticas; Secretario Executivo e Conselheiro do Conselho Estadual de Turismo do Estado de SP; Diretor de Hotelaria da AMITUR; e Diretor da FUPE (Federação Universitária Paulista de Esporte), entre outros.

Bruno Omori conversou com exclusividade com o portal iGaming Brazil e abordou assuntos como a possível aprovação da Regulamentação dos Jogos no Brasil e suas consequências para o Brasil. 

Confira na íntegra a entrevista com o diretor do IDT-CEMA

iGaming Brazil – Bruno, o que significa para o setor do Turismo Brasileiro a aprovação, no dia 24 de fevereiro de 2022, dos JOGOS & CASSINOS NO BRASIL a PL 442/91, tendo passado com 55% dos votos válidos na Câmara dos Deputados?

Bruno Omori – O setor de Turismo será o maior beneficiado, pois dentro do nosso setor nós temos o maior potencial de recursos naturais para turismo de acordo com a Organização Mundial de Turismo. Sendo assim, o Brasil perde muita competitividade, por exemplo num destino como Ilhabela, que possui produtos hoteleiros tão bons como os de Cancún. Porém em Cancún há também jogos e cassinos e isso fortalece o lugar porque é mais uma estrutura de gastronomia, é mais uma estrutura de entretenimento e hotelaria que os jogos podem proporcionar a um destino. Por isso, o Brasil vai ganhar muito no aspecto turismo, fortalecendo os destinos turísticos dentro do país e potencializando a divulgação e a captação de novas demandas.

iGaming Brazil – Por favor, faça uma estimativa do número de empregos de pessoas afetadas positivamente ao setor.  

Bruno Omori – Podemos ter empregos diretos numa macroeconomia brasileira da ordem dos 10 milhões, porém no Turismo, que tem a capacidade de empregar o maior número de pessoas com menor investimento possível, ou seja, com a aprovação dos cassinos integrados a resorts, cassinos turísticos, bingos, jogo do bicho, jogo online, apostas esportivas, potencializa-se muito a criação de novos pontos de venda de equipamentos como aparts, hotéis, resorts, assim como  atrações turísticas em geral. nesses lugares, geralemente a demanda é de 30 e, às vezes, de até 100% a mais de colaboradores, para fortalecer este setor e ser bem atendido com relação aos jogos.

iGaming Brazil – É verdade que o Uruguai, sendo um país muito menor territorialmente, recebe a mesma quantidade de turistas que o Brasil por ano? Essa situação será revertida quando houver cassinos e bingos no país?

Bruno Omori – Sim, na verdade o Uruguai é um país que é, tanto populacional como territorialmente, muito, muito menor que o Brasil, conseguindo ter um fluxo de turismo até bem parecido ao nosso. Primeiro por criar algumas políticas econômicas ligadas ao turismo, mas também por ter cassinos e jogos aprovados. Por exemplo Punta del Este, que é sustentada totalmente por turistas brasileiros, que não podem jogar no Brasil e acabam indo pra lá, um país próximo. Com uma população de 210 milhões de habitantes, e grandes centros consumidores, o Brasil se torna um grande destino turístico não só para a América do Sul, como também para os próprios brasileiros poderem viajar e conhecer e, além disso, aproveitar os jogos.

iGaming Brazil – Segundo o novo texto, a tributação dos jogos esteve entre os pontos mais polêmicos da votação. Um dos partidos, rejeitado pelos deputados, queria aumentar a alíquota da Cide de até 17% para 30%, com a incidência sobre a receita bruta no lugar do lucro, alegando que o modelo de tributação era muito generoso com os jogos, com alíquota pequena diante da carga tributária de outros setores. O que você opina sobre isso?

Bruno Omori – De fato o novo texto referente à Tributação, assim como todo negócio (a questão dos jogos e cassino é um negócio) depende totalmente, primeiro, eles têm que dar um bom retorno de resultados, ou seja, de cada 100 apostados, ele precisa ter 70, 80% de retorno.  E só da margem que fica de verdade da rentabilidade, deve ser transformada em impostos. Mesmo assim, podemos ter cerca de 20 bilhões em impostos só com os jogos. E se jogarmos isso na macroeconomia teremos uma casa muito superior a impostos dentro de vários setores da economia brasileira.

iGaming Brazil – Apesar da aprovação da Câmara e do debate recorrente no Senado, o presidente Jair Bolsonaro já afirmou que pretende vetar o projeto de lei de legalização dos jogos de apostas no Brasil caso o texto seja encaminhado para sua sanção. Bruno, você acha que isso vai mesmo acontecer? Qual é o panorama daqui pra frente?

Bruno Omori – A aprovação já saiu da Câmara, já está no Senado, que é a casa revisora, e deve ser aprovada lá também. Nosso presidente já afirmou que vai vetar. De fato, sim, ele afirmou que vetará, porém no Brasil o texto sendo aprovado na Câmara, depois no Senado, passa pela sanção presidencial, ele pode vetar ou não, e se acontecer volta para o Congresso Nacional, que pode derrubar os vetos. Sendo uma circunstância que pode afetar positivamente a macroeconomia brasileira, falando do Ministério da Economia, de Paulo Guedes e principalmente estando o Ministério de Turismo e da Cultura, e dos Esportes envolvidos, haverá grande peso a favor Sendo assim, mesmo com o veto, eles entendem que a aprovação dos jogos e cassinos no Brasil trará milhões de empregos (cerca de 2 bilhões), bilhões de impostos, e quase 70 bilhões de dólares de investimentos para a macroeconomia (investimentos nacionais e internacionais).

iGaming Brazil – Outro ponto são os Cassinos que, de acordo com o texto, poderão ser instalados em resorts como parte de complexo integrado de lazer que deverá conter, no mínimo, 100 quartos de hotel de alto padrão, locais para reuniões e eventos, restaurantes, bares e centros de compras. Outra condição é que o espaço físico do cassino deva ser, no máximo, igual a 20% da área construída do complexo.  Você opina que são válidas estas condições ou quiçá detalhes que não impedirão sua execução?

Bruno Omori – Nós trabalhamos bastante com esse item, principalmente conversando com o pessoal do Nordeste em cidades pequenas. Por isso ficou um número pequeno de apartamentos de alto padrão para poder ser contemplado em qualquer destino turístico.

E temos tanto os cassinos integrados a resorts que devem ficar principalmente nos grandes centros (São Paulo, Rio de Janeiro, Florianópolis, Brasília, Belo Horizonte ou Fortaleza), podendo depois haver cassinos turísticos, que serão estes de menor porte, sendo inclusive possível acoplar a essa parte os Bingos e as casas de apostas esportivas e trazer novos pontos de vendas para empreendimentos turísticos como hotéis, condo-hotéis, resorts, parques temáticos e assim por diante.

iGaming Brazil – Que benefícios trará, no âmbito legal e impositivo, que o Jogo do Bicho, os bingos e os cassinos deixem de ser ilegais e passem a estar abertos à população, como hoje acontece com as loterias, a Mega Sena e a Loto. Você acredita que isso dará margem a fraudes e lavagem de dinheiro como alega a oposição?

Bruno Omori – De fato criar uma legalização ampla com Cassinos, Jogo do Bicho, Bingos, já tendo as apostas esportivas, teremos uma possibilidade primeiro de uma entrada, de impacto macroeconômico gerando milhões de empregos, bilhões de impostos e, mais do que isso, teremos a possibilidade de combater a fraude e lavagem de dinheiro.

Hoje com acontece o contrário, hoje temos fraude e lavagem de dinheiro, evasão de divisas por causa dos bingos e cassinos clandestinos que estão totalmente à margem, na mão de contraventores, de pessoas só lavando dinheiro. Por isso foi pego em flagrante um famoso jogador de futebol num cassino em plena pandemia, porque esse estabelecimento não tinha licença de bombeiros, de funcionamento, nada, não recolhia impostos e não contratava formalmente, por isso estava aberto.

Todos os demais legais estavam fechados durante a pandemia. Por isso a grande chance de o Brasil eliminar a lavagem de dinheiro, a corrupção e as fraudes é justamente com a aprovação dessa lei.

iGaming Brazil – Que comparação você se arriscaria fazer entre o Brasil e Portugal, que tem uma regulamentação do jogo desde 1927. É mais fácil quando os territórios são pequenos ou tem a ver com a cultura local?

Bruno Omori – Fazendo uma comparação do Brasil e Portugal, que já tem sua legislação aprovada desde 1927,  vemos que esse país tem hoje vários destinos potencializados  em função dos cassinos e jogos, diferentemente do Brasil.

A partir do momento que Portugal entendeu que o turismo era uma atividade econômica para gerar emprego e renda, e colocaram isso como política pública e fator de desenvolvimento econômico, o luso país saiu de pouco mais de 2 milhões de estrangeiros e chegou a quase 40, 50  milhões de estrangeiros em 2019, (e mesmo com a pandemia, mais de 10 milhões de estrangeiros), com então potencial para crescer a 60, 70 milhões de  turistas por ano em Portugal como um destino charmoso e trabalhando cultura, entretenimento, trabalhando uma boa qualidade gastronômica, aliado e potencializados pelos jogos e cassinos.