Bolsonaro pretende vetar a legalização de jogos no Brasil, mas decisão final será do Congresso

Após os recentes esforços na Câmara dos Deputados em agilizar o processo de legalizar os jogos de apostas e cassinos no Brasil, o presidente Jair Bolsonaro agora diz que pretende vetar essa regulamentação.

A regulamentação, que teve seu inicio em 2018 – sob a gestão do então presidente Michel Temer – encontrou o seu caminho com Arthur Lira neste ano de 2021 e estava indo muito bem, indicando uma possível conclusão positiva até o final do ano.

A Revista VEJA preparou uma notícia onde temos na íntegra toda a entrevista com o Presidente Jair Bolsonaro.

Confira na íntegra matéria com a entrevista de Bolsonaro

Apesar de uma recente mobilização na Câmara dos Deputados para colocar de pé um projeto que legalizaria jogos de azar, cassinos e o jogo do bicho no país, o presidente Jair Bolsonaro afirmou, em entrevista exclusiva a VEJA, que pretende vetar a proposta.

Parada desde o governo de Michel Temer, a regulamentação de apostas esportivas ganhou fôlego após o presidente da Câmara Arthur Lira (Progressistas-AL) ter criado um grupo de trabalho para discutir a legalização de cassinos, máquinas caça-níqueis e bingos, entre outros. A ideia é que o tema seja votado na Câmara até o fim do ano.

A proposta tem entusiastas entre os auxiliares mais próximos do presidente, como o ministro da Casa Civil Ciro Nogueira, mas esbarra na resistência de parlamentares evangélicos.

A VEJA o presidente disse que já foi procurado por apoiadores da liberação de jogos no país, mas relatou a eles que a medida não terá o apoio do governo para ser aprovada no Congresso e, se ainda assim for adiante, ele vetará a proposta.

“Eu acho que vai ter mais a perder do que a ganhar no momento. Se porventura aprovar, tem o meu veto, que é natural, e depois o Congresso pode derrubar o veto. Sim, o que está sendo discutido até o momento contará com o meu veto. Ponto final”, disse Bolsonaro. “No momento a minha opinião sobre jogos de azar é essa”, completou.

A liberação dos jogos de azar também é defendida por parlamentares que veem na iniciativa a possibilidade de incremento do setor de turismo e de hotéis e resorts no país.