Spelinspektionen Implementará Proibição de Apostas Com Cartão Amarelo
Foto: Superinteressante

This post is also available in: English (Inglês)

O Swedish Gaming Inspectorate (Spelinspektionen) deve implementar uma proibição para apostas envolvendo cartões amarelos, como no futebol, em um esforço para conter a manipulação de resultados no país.

Os operadores também não poderão fazer apostas em conquistas individuais de jogadores com menos de 18 anos, fora das quatro divisões principais do futebol nacional e jogos internacionais seniores ou sub-21. As novas regras entram em vigor em 1 de janeiro de 2021.

As normas, no entanto, se aplicariam apenas à jogos disputados na Suécia. O que significa que mais mercados podem ser oferecidos com eventos esportivos ocorrendo em outros lugares.

Conforme Spelinspektionen, as chances desses jogos serem fixados no mercado de apostas licenciadas sueco são pequenas.

Novas medidas do Spelinspektionen são criticadas por operadores

Gustaf Hoffstedt, secretário-geral da associação de operadoras Branschföreningen för Onlinespel (BOS), disse que – em um esforço para aparentar um equilíbrio entre pontos de vista divergentes – o regulador se colocou em uma posição que pode estar mais enraizada na política do que na boa regulamentação.

“Spelinspektionen afirma ter encontrado um ponto de equilíbrio entre os diferentes interesses. Mas não há equilíbrio nesta questão. Ou você acredita que as restrições para empresas licenciadas levam a uma redução na manipulação de resultados?”, declarou Hoffstedt.

Ele continuou: “Nesse caso, eu me pergunto porque Spelinspektionen pode se contentar com essas restrições periféricas. Nesse caso, a única responsabilidade seria impor limitações a quase tudo, se alguém estiver convencido de que elas têm um efeito positivo”.

Gustaf Hoffstedt ainda argumentou que, em vez de reduzir o perigo de combinação de resultados, as novas medidas aumentariam o risco e teriam pouco impacto positivo.

“O SGA é muitas vezes responsabilizado por uma série de coisas, quando na verdade é o governo que deve ser responsabilizado. Neste caso, no entanto, foi o próprio Spelinspektionen que optou por impor as restrições, e isso sem qualquer análise de efeito”, salientou.

Hoffstedt acrescentou que as regras criarão um risco enorme em um ambiente em que a canalização para apostas esportivas está estimada entre 80% e 85%, abaixo da meta do legislador de 90%.

Ele alertou que, no ambiente atual, a combinação de resultados que ocorre é mais difícil de detectar porque está fora do sistema de licenciamento sueco.

Regulador defende proibição de apostas em divisões inferiores

Em contrapartida, o regulador sueco frisou que as regras são exigidas porque o futebol das divisões inferiores não tem o mesmo nível de controle contra a manipulação de resultados.

“O futebol é um esporte de alto risco quando se trata de combinação de resultados e há riscos especiais com divisões menores. A vigilância é mais pobre e os praticantes não ganham dinheiro com o esporte. A entidade optou por dar uma ênfase especial ao futebol e levou em conta as opiniões recebidas dos órgãos consultivos”.

Os operadores também devem fornecer relatórios anuais sobre suspeita de manipulação de resultados ao regulador, incluindo cada caso suspeito. Spelinspektionen propôs pela primeira vez a proibição de apostas em violações de regras e apostas em atletas com 18 anos ou menos em janeiro.

O BOS se opôs fortemente à proposta, alegando que estava efetivamente “descriminalizando a manipulação de resultados”. A International Betting Integrity Association (IBIA) argumentou que havia poucas evidências de que as medidas teriam um impacto perceptível na proteção da integridade esportiva, mas poderiam beneficiar o mercado não licenciado.

Em abril, Spelinspektionen lançou outra consulta para regras contra apostas nas ligas inferiores, depois que o órgão estatal Svenska Spel condenou um aumento nas apostas nas competições de menor expressão durante a pandemia. Além disso, a Spelinspektionen apresentou as regras à Comissão Europeia em maio.

This post is also available in: English (Inglês)