Deputado Federal Laterça “Basta de Hipocrisia no Brasil, Jogo já Existe
Foto: Flavio Figueiredo / iGaming Brazil

Após muito debate e informações compartilhadas nos painéis no primeiro dia do 1º Seminário Internacional sobre a Regulamentação dos Jogos Online, os trabalhos foram abertos neste sábado, 13, com os chamados jogos de habilidade.

Realizado no Hotel Grand Hyatt, no Rio de Janeiro, o sétimo painel “Poker, e-Sports E outros Jogos de Habilidade” foi apresentado pelo deputado federal Felício Laterça (PSL/RJ) e pelo palestrante Igor “Federal” Trafani, atual presidente da Confederação Panamericana de Poker Desportivo (CPPD) e uma das principais referências do segmento no território nacional.

“O poker é igual! É um jogo de habilidade”, declarou Igor Federal Trafani

Desde o começo do painel, ambos os participantes do painel trataram de desmistificar a pratica do poker. “Determinado momento, conversando com um delegado de polícia amigo meu eu perguntei se ele prenderia o filho por estar jogando videogame e ele disse NÃO! O poker é igual! É um jogo de habilidade”, declarou Federal.

Ele também trouxe um dado relevante sobre a quantia que o Brasil deixou de arrecadar nas últimas sete décadas. “Se fizermos a conta de quanto o Brasil já perdeu nos últimos 70 anos, daria meio PIB do país: 1,3 trilhões de reais”, frisou.

Publicidade

O deputado Felício Laterça fez questão de corroborar com a estimativa de aumento significativo na arrecadação. ”Estima-se que o Brasil, com arrecadação, impostos e etc, o jogo chegue no primeiro ano a 60 bilhões de reais é um milhão de empregos”, que complementou: “basta de hipocrisia no Brasil, o jogo já existe”.

“Falta segurança jurídica para jogarmos o poker no Brasil”, diz Federal

Segundo Federal, é necessário estabelecer parâmetros sólidos para que a indústria do jogo possa se desenvolver no país. Como um dos principais nomes do poker no Brasil, ele relatou que essa instabilidade interfere diretamente na realização de campeonatos e eventos no cenário nacional.

“Falta segurança jurídica para jogarmos o poker no Brasil. Estamos jogando poker através de medidas judiciais que vamos ganhando. De cada dez torneios que eu organizava, cinco fechava e cinco eram jogados. Para provar que o poker não era jogo de azar eu usava um embasamento de estudos de Harvard, entre outros documentos”, salientou.

Para o palestrante, essa insegurança também desestimula a instalação de grandes empreendimentos e projetos diferenciados no país.

“Será que essa segurança é suficiente para uma empresa investir 1 bilhão aqui no Brasil? A resposta é NÃO!” Apesar de não ser ilegal, não tem segurança política para atuação no Brasil”, concluiu.