mauro silva
Foto: Facebook Oficial Mauro Silva

Campeão da Copa do Mundo de 1994 com a Seleção Brasileira, Mauro Silva continua trabalhando com o futebol. Após 17 anos como atleta profissional, ele passou a ocupar o cargo de vice-presidente de futebol na Federação Paulista de Futebol (FPF).

Nesta terça-feira, 30 de julho, ele compareceu ao Seminário – Apostas Esportivas, Sorteios Filantrópicos e de Promoção Comercial realizado na sede da entidade, na Barra Funda, em São Paulo. O evento serviu para debater a regulamentação das apostas esportivas no Brasil, bem como outras promoções comerciais como captação de recursos para entidades esportivas.

Em conversa com a equipe do IGaming Brazil, o volante campeão do mundo pelo Brasil discorreu sobre as novas possibilidades de renda para o esporte brasileiro. Mas, Mauro Silva frisou que deseja priorizar a integridade das competições. Confira a entrevista na integra!

Entrevista com Mauro Silva

IGaming Brazil: Hoje, estamos em um seminário de apostas esportivas. Qual a importância que você, como ex-atleta, vê na entrada das apostas esportivas no Brasil?

Mauro Silva: Já que a lei foi regulamentada, é importante que haja uma regulamentação adequada. Essa discussão é importante para que seja priorizada a integridade das competições. É uma realidade que já existe em outros países, por isso, acho que é importante tentarmos entender como funcionar e trazer o melhor modelo para cá, inclusive que seja uma ajuda para o desenvolvimento da indústria esportiva no Brasil.

IGaming Brazil: Já estamos vendo alguns patrocínios, caso do vôlei de praia e clubes de futebol já estampando sites de apostas esportivas. Qual a importância disso em um país que tem pouca empresa patrocinando esportes nos dia de hoje?

Mauro Silva: É importante para o desenvolvimento do esporte como um todo, especialmente, em um momento que o país está saindo de uma crise longa. Ter novos patrocinadores envolvidos e que possam apoiar o esporte é fundamental. Além disso, nós estamos em um país de clima tropical e que permite a pratica esportiva todo o ano. Eu, que joguei na Europa tantos anos, sei do potencial do Brasil e acredito que poderia ser uma potencia esportiva. Eu acho que é importante trabalhar nessa direção, afinal quantos jovens não vamos conseguir tirar da violência em áreas de vulnerabilidade ao trazer para o esporte? Temos que fazer essa indústria se desenvolver e prosperar.

IGaming Brazil: Nós estamos vendo vários ex-jogadores e atletas se tornando embaixadores de casa de apostas, como o Falcão e Oscar na Betsul, Felipe Melo na Bodog. Você, como ex-jogador, pensa nisso?

Mauro Silva: Não é uma preocupação que eu tenho. A preocupação que eu tenho, como ex-atleta e membro da Federação, é ter uma regulamentação   adequada e que seja priorizada a integridade das competições. Não me preocupa fazer publicidade. Eu volto a insistir, isso já existe em todo o mundo e essas casas de apostas estão fora do Brasil.

Estamos deixando de arrecadar uma receita que poderá ser voltada para o desenvolvimento do esporte nacional. Eu acho que se essas empresas operam no Brasil, tributam aqui e pagam impostos, vão ajudar no desenvolvimento da indústria. Portanto, quem faz a publicidade não me importa. Só acho que tem que ser bom para o país e a sociedade brasileira. Se for dessa forma, eu acho que serão bem-vindas.