COVID-19: Festeiros durante virada de ano podem ter interrompido queda de casos em Las Vegas

Se Las Vegas enfrentar restrições mais pesadas para tentar conter os casos de COVID-19, os festeiros da véspera de Ano poderão ser responsabilizados. Esta é a posição de um oficial de saúde de Nevada, que acredita que qualquer um que apareceu em Las Vegas na virada do ano pode considerar que está infectado neste momento.

Esse oficial acrescentou que agora, essas pessoas podem estar espalhando o coronavírus sem mesmo perceber, e que ignorar as recomendações para evitar a aglomeração nas ruas da capital do jogo pode acabar custando muito caro.

Em uma entrevista ao meio de comunicação local KTNV-TV, o especialista em COVID-19 de Nevada, Caleb Cage, afirmou que os visitantes de Las Vegas no Ano Novo podem ter sido expostos ao vírus e que agora tendem a estar ajudando a espalhá-lo.

“Era um risco sair na véspera de Ano Novo. O governador deixou bem claro”. Cage é mais do que apenas uma fonte científica sobre COVID-19, uma vez que ele também contraiu e lutou contra a doença.

Nevada impôs restrição às reuniões há alguns meses, limitando o número de pessoas a 50. Essa posição foi reiterada antes da agitação típica de ano novo tomar conta de Las Vegas. Várias fotos circularam nas redes sociais e portais de notícias com grandes aglomerações de pessoas, desrespeitando os protocolos de segurança.

Diante das esperadas multidões de Réveillon, o governador de Nevada, Steve Sisolak, se pronunciou. “Organizar encontros com ingressos como se estivéssemos vivendo normalmente, é simplesmente irresponsável. A ciência prevalece, e a ciência diz que quanto mais gente em uma reunião, é garantido que uma parte vai ter COVID-19, seja sintomática ou assintomática”.

Efeitos da COVID-19 em Las Vegas

Las Vegas fica no condado de Clark, que abriga dois terços da população de Nevada. É também onde foram registradas 2.424 mortes por coronavírus, de um total de 3.210 no estado.

Por enquanto, os moradores devem ser extremamente cautelosos com suas interações pessoais e as autoridades de saúde locais monitorarão a situação para acompanhar se ocorrem novos aumentos dos casos nas próximas semanas.