Presidente da Braztoa Projeta Liberação de Cassinos em Resorts até 2021
Presidente da Braztoa, Roberto Haro Nedelciu. Foto: Facebook Pessoal

O setor de turismo foi um dos primeiros a sentir os efeitos econômicos negativos em função da pandemia do novo coronavírus, de acordo com o presidente da Braztoa (Associação Brasileira das Operadoras de Turismo), Roberto Haro Nedelciu. Por isso, ele acredita que a liberação dos cassinos em resorts ocorrerá no Brasil em breve.

Antes mesmo de outros segmentos serem afetados, o cancelamento e/ou adiamento de viagens internacionais e nacionais foi a primeira conseqüência da crise, conforme Nedelciu.

Segundo ele, a situação está sendo encarada em fases, e, nesse momento, diversas operadoras de turismo estão criando promoções para compras futuras dentro e fora do país.

“Já tem várias promoções pela internet, ofertadas pelos agentes de viagem. O tempo que vão permanecer (os descontos) vai depender do mercado. Roteiros nacionais, roteiros próximos, são a bola da vez”, avaliou Roberto Haro Nedelciu em entrevista virtual ao ‘O Tempo’.

Instalação de cassinos em resorts pode ser permitida no Brasil

Além disso, o presidente da Braztoa salientou que há grande chance de acontecer uma alteração na legislação em vigor para permitir a instalação de cassinos em resorts em locais específicos do Brasil. Para Nedelciu, a tendência é que essa flexibilização se suceda ainda neste ano ou até 2021.

“Não vai ser liberado para todos os locais do Brasil e algumas áreas que podem ter liberado esse cassino, vão ter. Não tenho bola de cristal de saber quando, mas talvez no ano que vem ou outro”, explicou.

Vale salientar que o interesse na reabertura de cassinos no Brasil é antigo. Diversos projetos estão em andamento no Congresso Nacional visando essa medida, incluindo a possibilidade de cassinos em resorts em determinados pontos do Brasil com grande potencial turístico.

Situação do turismo nacional  

O mercado turístico nacional já tenta estimar a queda nas negociações devido a pandemia de coronavírus. A expectativa do setor é manter o rendimento de 2019, cerca de 15 bilhões de reais. Além disso, a previsão é que a área de turismo necessite de mais um ano e meio para recuperar.