Cassinos no Uruguai Preparam Protocolo de Segurança para Reabertura
Foto: Dicas do Uruguai

Na próxima sexta-feira, dois meses após o governo ter decidido fechar os locais de jogos durante a emergência de novo coronavírus, os cassinos no Uruguai apresentarão um protocolo para reabrir suas portas.

“Estamos terminando de preparar o protocolo. Na sexta-feira, vamos levá-lo ao Ministério da Saúde Pública (MSP)”, afirmou Gustavo Anselmi, diretor geral dos Casinos del Estado. “Depois que o MSP responder, o documento irá para o comitê de especialistas e eles dirão quando podemos retomar os jogos nos cassinos. Hoje não tenho data, tudo depende deles”, acrescentou.

O protocolo foi estabelecido pela Direção Geral de Cassinos e por operadores privados. A ideia, conforme Anselmi, é reabrir com “50% da capacidade” permitida nas instalações. Mas a diminuição significativa do público não será a única medida de segurança.

O documento também estabelece que as máquinas serão separadas para atender ao distanciamento social recomendado pelo governo. Além disso, as pessoas devem cumprir rigorosas normas de higiene na hora da entrada.

“Na entrada, haverá um estande com álcool gel e uma espécie de capacho para limpar calçados. Todos os que entrarem, público e funcionários, terão que fazer isso com máscaras. E, todos terão sua temperatura corporal medida”, disse Anselmi.

Novas medidas de funcionamento para cassinos no Uruguai  

O diretor geral dos Casinos del Estado sustentou que a operação dos estabelecimentos será modificada: “Nas salas, logicamente, tudo será higienizado muito mais do que o normal e haverá ventilação constante”.

Os cassinos, que estão fora de operação há quase dois meses, contam com 1.100 funcionários, dos quais 950 deles são dedicados exclusivamente aos salões de jogo. Anselmi explicou que agora, além de cumprirem as medidas de higiene acima mencionadas, os colaboradores terão que “descansar em momentos diferentes para evitar aglomerações”.

Por outro lado, o diretor reconheceu que o objetivo é de abertura de todos os cassinos no Uruguai, a menos que o Ministério Público faça alguma restrição. “A retomada é necessária e a área metropolitana é a mais importante em termos de arrecadação”, concluiu.