Magnata americano espera a legalização dos jogos para investir no Brasil

Publicado em
 Atualizado em 06/06/2019 às 10h36.
 
Magnata americano espera a legalização dos jogos para investir no Brasil

O bilionário Sheldon Adelson aguarda a legalização dos jogos para iniciar seus negócios no Brasil. O magnata americano pretende construir dois cassinos em resorts, um em São Paulo, e outro no Rio de Janeiro, na Barra da Tijuca.

Sheldon Adelson já manifestava esse desejo de investir no país em uma visita ao Brasil, na metade do ano passado. O americano de 85 anos é um dos responsáveis pela mudança de Las Vegas nas últimas décadas, quando o foco (cassino) começou a se aliar a hotéis, restaurantes, shows e centro de convenções.

Infraestrutura avançada, vasta rede hoteleira e aeroportos modernos fazem com que São Paulo e Rio saiam na frente para um futuro investimento da LVS (Las Vegas Sands). Assim como feito em Macau, onde a empresa de Adelson investiu US$ 14 bilhões em seis empreendimentos.

Em reuniões no fim do ano passado, no Rio de Janeiro, o atual prefeito da cidade Marcelo Crivella, se encontrou com Sheldon Adelson e se animou com a possibilidade de geração de emprego num empreendimento bilionário.

“Quero que o novo presidente Jair Bolsonaro me ajude a aprovar uma superlicença para termos um cassino. Recebi a visita do Sheldon Adelson, presidente da empresa Las Vegas Sands, e ele está interessadíssimo em investir US$ 10 bilhões e gerar 50 mil empregos”, afirmou Crivella.

Dois pontos da cidade carioca seduzem o americano. A região portuária e o Parque Olímpico da Barra, onde foram realizados os Jogos Olímpicos do Rio.

Em entrevistas anteriores Sheldon já mostrou interesse nessa região e, caso esteja disponível, seria a preferência do magnata.

Em São Paulo, as conversas também já começaram com o prefeito Bruno Covas. Em novembro de 2018, o magnata americano demostrara interesse pelo Complexo do Anhembi, um dos ativos em processo de licitação. Interessado com o possível negócio, Bruno Covas se reuniu com 60 executivos ligados à redes hoteleiras e entretenimentos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Adicione seu comentário
Digite seu nome aqui